Dezoito associações científicas da Itália, representando 10 mil pesquisadores, apresentaram um documento inédito, denominado Consensus Document on Food Safety GMOs. O texto, lançado no último mês em Milão, foi uma iniciativa da Sitox – Società Italiana di Tossicologia. Abaixo, alguns itens do relatório:

  • Desde que o homem se transformou de caçador em agricultor, ele tem domesticado animais e plantas e alterado – por vezes sabiamente – seus “mapas genéticos”. Desta forma, a maioria dos grãos cultivados e animais criados no mundo são de fato organismos geneticamente modificados.
  • Os GMs são controlados por regras que não encontram paralelo na indústria de alimentos. Portanto, são mais rigorosamente avaliados do que qualquer outro produto. E ainda: passam por testes detalhados de segurança antes de ter sua venda autorizada.
  • Os GMs que existem no mercado passaram por todos os testes e foram aprovados com segurança. Isso significa que, nas bases conhecidas e verificadas, são considerados seguros para consumo humano e animal.
  • A dualidade pró e contra GMs deve ser abandonada em favor de um consenso racional com base nos processos conhecidos e seus produtos.