A cientista Melha Mellata, pesquisadora associada do Instituto de Biodesign da Universidade do Estado do Arizona, lidera um projeto do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA, na sigla em inglês) para desenvolver uma vacina contra uma doença predominante nas aves, a E. coli aviária (APEC).

A APEC faz parte de um grupo vasto e diverso de micróbios, chamados Escherichia coli extra-intestinal (ExPEC). O conjunto pode causar uma síndrome complexa, caracterizada por lesões em múltiplos órgãos como cérebro, pulmão e trato urinário, acometendo humanos, animais e aves. Há também uma grande preocupação na comunidade científica de que as cepas de APEC tornem-se um patógeno alimentar emergente. Os produtos avícolas são uma das possíveis fontes de infecções de ExPEC, incluindo aquelas que causam doenças em humanos.

Em um trabalho publicado no jornal PLoS One, a equipe de pesquisadores analisou a sequência de DNA de um elemento genético crítico da APEC, que contém genes responsáveis por desencadear seus efeitos prejudiciais. Além disso, comparando esses genes com uma coleção de ExPEC humanos, eles perceberam que E. coli humanos e aviários podem carregar os mesmos elementos causadores da doença, o que pode aumentar o risco de infecção humana pelas aves.

A melhor maneira de prevenir a infecção é desenvolver uma vacina, diz Mellata. “Nossa idéia é proteger tanto aves quanto humanos, tentando achar um grupo de genes comum contra todas as bactérias extra-intestinais E.coli”. Com esse novo conhecimento da APEC, os grupos procuram continuar o desenvolvimento de novas vacinas.

O resultado de suas últimas pesquisas ajuda a estreitar a pesquisa genética para a causa de infecções da APEC. Previamente, ela mostrou que um segmento longo circular de DNA com 100.000 pares de bases, chamado plasmídeo, foi o responsável por causar a doença. Sem o plasmídeo, a APEC se torna inofensiva, e perde suas forças que causam doença.

“O sequenciamento de DNA e a análise bioinformática são ferramentas poderosas que contribuem para uma compreensão total da virulência da APEC e provoca novas vias de pesquisa”, diz Mellata.

Os EUA são o país que lidera a indústria de aves no mundo, com a receita anual ultrapassando os $50 bilhões, sendo a bactéria E. coli uma ameaça à produção, causando milhões de perdas para a indústria. Segundo a USDA, os dois tipos de infecção mais comuns nas aves são causados por E. coli e Salmonella.

Fonte: Science Daily – 27 de janeiro de 2009