A aflatoxina está na mira dos produtores de castanha-do-brasil, no Acre, onde a Embrapa lançou o Programa de Alimentos Seguros, até mesmo para investir na conscientização dos consumidores. Embora o produto seja um dos componentes da renda de mais de 15 mil famílias na região, a presença da toxina, além de ser um risco à saúde da população, prejudica o desenvolvimento de alimentos que agregam valor à matéria-prima, como farinhas de grande valor protéico e óleos finos.