Autores do livro Transgênicos: Base Científica da Segurança, que acaba de ser lançado, os especialistas Franco Lajolo, da USP, e Marília Nutti, da Embrapa, são categóricos ao atestar a segurança dos OGMs para humanos e animais. “As pesquisas e avaliações derrubaram os mitos. Aquilo que se pensava a respeito dos riscos potenciais não se confirmou e os OGMs disponíveis hoje no mercado são seguros, tanto do ponto de vista alimentar quanto nutricional”, afirma Lajolo, professor da USP e PhD em Nutrição. Para ele, a engenharia genética não está livre de riscos, mas os processos de avaliação científica dos produtos são bastante criteriosos e podem detectar os eventuais problemas, o que garante a segurança dos consumidores.

Marília Nutti, engenheira de alimentos e chefe-geral da Embrapa, afirma que há uma outra dúvida quanto aos OGMs que se desfaz agora: “Não há nenhuma indicação de que consumir OGMs, a longo prazo, pode causar algum tipo de problema”. Assim como Lajolo, Nutti ressalta a importância da pesquisa e dos processos de avaliação: “É fundamental que, a cada novo produto, novos testes sejam feitos, mas todos os produtos GMs que estão no mercado não causam reações alérgicas ou quaisquer outros danos à saúde”, afirma.