A engenharia genética é o ato de modificar a constituição genética de um organismo por meio da biotecnologia. Modificações podem ser geradas por métodos que alteram, removem ou introduzem genes intra ou interespecíficos para produzir organismos com características desejáveis. Esse conjunto de métodos é também conhecido como tecnologia do DNA recombinante. Por meio da engenharia genética se produz os organismos geneticamente modificados (OGM). Melhoramento convencional não é considerado uma forma de engenharia genética.

Engenharia genética

Como funciona a engenharia genética?

As técnicas começaram a ser definidas no início do ano de 1970, com a utilização das chamadas enzimas de restrição que permitiam cortar o DNA em pontos bem definidos. Assim, foi possível isolar fragmentos de DNA passíveis de serem introduzidos no genoma de um organismo. Posteriormente, novas técnicas de engenharia genética foram sendo desenvolvidas. Além da introdução de genes no genoma de um organismo, também é possível silenciar, deletar ou editar genes. Engenharia genética possui diversas técnicas hoje disponíveis, algumas delas com potencial ainda a ser descoberto.


VEJA TAMBÉM

O que é melhoramento genético?

O que são Técnicas Inovadoras de Melhoramento de Precisão (TIMP)?


Importância da engenharia genética

A engenharia genética trouxe e está trazendo inúmeros benefícios à humanidade. Suas técnicas podem ser aplicadas na área da saúde, na agricultura (produção de alimentos, fibras e energia) e na preservação do meio ambiente. Por meio de técnicas de engenharia genética são desenvolvidos métodos de diagnóstico e tratamento de doenças e vacinas. Com a sua utilização na agricultura, há redução de perdas na lavoura e, consequentemente, aumento da produtividade. Além disso, ocorre também a otimização do uso de insumos (defensivos), reduzindo a utilização de água para diluir esses produtos, assim como como redução de combustível para sua aplicação.

Engenharia genética e suas aplicações

Atualmente, existem várias técnicas de engenharia que são utilizadas. Uma delas é a transgenia, onde ocorre a inserção de um ou mais genes no genoma de um organismo, sendo esse(s) gene(s) de espécie(s) não compatíveis sexualmente. Existe também a cisgenia, onde o organismo tem seu genoma modificado por meio da inserção de genes de espécies que podem ser cruzadas naturalmente. Outra técnica que vem sendo muito utilizada é a interferência por RNA ou silenciamento gênico, que é um mecanismo celular que inibe o processo de produção de proteínas. Uma das mais novas técnicas de engenharia genética que vem sendo aplicada é a CRISPR-Cas9 onde a sequência do DNA do genoma de um organismo pode ser editada, retirando-se um pedaço dessa sequência e substituindo-o por outro.


VOCÊ TAMBÉM PODE SE INTERESSAR POR:

20 anos de transgênicos no Brasil

Prêmio Nobel aponta benefícios dos transgênicos