Cientistas americanos descobriram uma nova enzima (ANR) capaz de produzir os potentes antioxidantes encontrados, por exemplo, na uva e no chá verde. Chamados taninos condensados, esses antioxidantes demonstraram ter propriedades anticancerígenas, além de beneficiar o coração e o sistema urinário. “Este é o primeiro passo no uso da biotecnologia para aumentar os taninos condensados disponíveis nos tecidos das plantas, o que poderá propiciar um reforço na alimentação de gados e ovelhas e também incrementar produtos alimentícios para o benefício da saúde humana”, disse o Dr. Richard Dixon, cientista-chefe do estudo e diretor da Noble Foundation’s Plant Biology division. “Já é outro exemplo de como a biotecnologia pode beneficiar animais, homens e o meio ambiente”, completa.

Fonte: The Samuel Roberts Noble Foundation