Pesquisadores mexicanos usaram a biotecnologia para criar método de descontaminação de resíduos do petróleo

Um grupo de cientistas do Instituto de Biotecnologia da Universidade Nacional Autônoma do México (UNAM) está trabalhando no desenvolvimento de métodos alternativos de limpeza de áreas contaminadas por hidrocarburetos (derivado do petróleo perigoso por sua capacidade de mutação).

O projeto teve inicio há 16 anos, como uma alternativa para limpar zonas contaminadas em virtude de derramamento de petróleo. As enzimas utilizadas são moléculas de proteína que têm a capacidade de oxidar os hidrocarburetos, em especial os aromáticos, altamente tóxicos para os humanos. Os cientistas da UNAM modificaram sua sequência genética para fazê-las mais estáveis e eficientes, ou seja, acelerando a conclusão de sua reação.

Além disso, os pesquisadores também modificaram a enzima para revesti-las com um polietilenglicol, polímero que faria com que elas se dissolvessem em água e petróleo. Esse também é um passo fundamental, pois de outra maneira as enzimas não poderiam “entrar” na moléculas de hidrocarburetos e efetuar sua transformação.

Fonte: Milênio Online – 18 de março de 2011