Estudo publicado em novembro deste ano pelo Danish Board of Technology, da Dinamarca, de que participou uma equipe multidisciplinar, aborda a biotecnologia nos países em desenvolvimento. Também lista itens prioritários em relação à adoção da tecnologia nos próximos cinco a dez anos.

Diz o documento, denominado Genetically Modified Crops in Developing Countries – Challenges for the Development Aid, que cabe às organizações de auxílio ao desenvolvimento preparar as nações mais pobres de países emergentes a manusear corretamente a tecnologia dos alimentos geneticamente modificados.

Estão entre os itens considerados prioritários, segundo o estudo, estão a cooperação representativa e eficiente de legítimas organizações de agricultura; o esforço para elaborar legislação relativas ao manuseio da tecnologia de organismos geneticamente modificados e o apoio a pesquisas sobre biotecnologia nos países em desenvolvimento.

Leia também a notícia completa em inglês.