Plantações geneticamente modificadas podem ter vários efeitos positivos na biodiversidade, incluindo redução de uso de pesticida. A conclusão é do estudo intitulado Biodiversity and Agricultural Biotechnology – A Review of the Impact of the Biotechnology on Biodiversity, elaborado pelo cientista Klaus Ammann. Chefe do Botanical Garden, de Berna, na Suíça, o pesquisador enfatiza que “tem havido perdas de biodiversidade em várias partes do mundo, freqüentemente a largos passos”. Ele destaca a importância da diversidade biológica, que durante as últimas décadas tem sido chave na preocupação com o desenvolvimento sustentável.

A utilização de pesticidas, diz o estudo, acaba sendo uma necessidade para conseguir maior produtividade em áreas menores, já que as áreas aráveis estão cada vez mais escassas no mundo todo. Além disso, há necessidade de produção alta para alimentar uma população global cada vez maior. E os avanços conquistados na área das plantas GMs permitem esse aumento de produtividade, sem o conseqüente aumento no uso de pesticidas e herbicidas.

As plantações GMs, continua o estudo, podem aumentar a produtividade, sem a necessidade de aumentar a área para produção agrícola.

Leia também a matéria em inglês.