Algodão-N-300x200Trabalho publicado na edição de fevereiro do Journal of Agricultural Science, periódico vinculado à Universidade de Cambridge, no Reino Unido, confirmou que culturas geneticamente modificadas (GM) oferecem vantagens se comparadas às suas variedades convencionais.

A pesquisa intitulada “Impactos econômicos e agronômicos das culturas geneticamente modificadas comercializadas: uma meta-análise” foi conduzida por um grupo de cientistas liderados por F. J. Areal. O estudo traz conclusões que contradizem críticas às culturas transgênicas. Evidências apontam que o uso de biotecnologia agrícola é vantajoso tanto do ponto de vista econômico quanto do agronômico. “Particularmente, os eventos Bt (de resistência a insetos) são os que mais superam os não-transgênicos no que diz respeito a produtividade e margens de lucro”. Segundo o trabalho, outra característica bastante adotada na agricultura, a tolerância a herbicidas, também se destacou por proporcionar benefícios. “As culturas tolerantes a herbicidas têm performance econômica melhor devido ao fato de facilitarem o manejo da lavoura”.

A análise dos dados levantados em todas as regiões do mundo concluiu que, no que se refere ao nível de desenvolvimento, as plantas GM são vantajosas para todos os países e tipos de agricultura. “Sementes transgênicas têm desempenho ainda melhor nos países em desenvolvimento, com destaque para a cultura do algodão BT, a mais lucrativa delas”.

Fonte: Journal of Agricultural Science – fevereiro de 2013