Três estudos realizados pela National Center for Food and Agricultural Policy (NCFAP), organização norte-americana sem fins lucrativos, atestaram que plantas geneticamente modificadas podem ajudar os agricultores europeus, aumentando a produção e os lucros dos agricultores e diminuindo o uso de pesticidas.

As três culturas estudadas (milho, batata e beterraba açucareira), juntas, poderão ser responsáveis pelo aumento da produção – em 7,8 milhões toneladas por ano – e do lucro, algo em torno de R$ 3 bilhões. Além disso, a vantagem dos OGMs estaria na redução do uso de pesticidas, 9.8 mil toneladas por ano.

O diretor da NCFAP, Leonard Gianessi, disse que este é o primeiro levantamento que explica como a biotecnologia pode causar impacto na Europa. Os casos estudados foram analisados por instituições governamentais e especialistas em biotecnologia de plantas.

Clique aqui para ler mais informações sobre os estudos.