O Joint Research Centre (JRC) – Centro de Pesquisa da Comissão Européia – apresentou os resultados de uma pesquisa baseada em entrevistas presenciais com 402 agricultores de milho na Espanha, o maior produtor da UE. O objetivo do estudo era a obtenção, pela primeira vez, de dados sobre o rendimento agronômico e econômico do milho Bt ao longo de três colheitas (2002-2004), além da análise do perfil socioeconômico dos agricultores que haviam decidido cultivar a variedade GM Bt, comparando-o com aqueles que haviam decidido o contrário.

Sob o titulo de “Adoção e desempenho da primeira lavoura GM na agricultura da UE: milho Bt na Espanha”, o estudo foi desenvolvido nas três principais comunidades autônomas onde se cultiva o milho Bt (Aragão, Castilhaa-La Mancha e Catalunha), que representavam 90 % da superfície total de cultivo de milho Bt na Espaha em 2006. Os agricultores que participaram do estudo cultivam milho Bt para a produção de rações.

Resultados do estudo

Os resultados do trabalho mostram que os agricultores que optaram pelo milho Bt obtiveram uma média de rendimento mais elevada que aqueles que cultivaram a variedade tradicional. Não foram encontradas diferenças entre o preço pago aos agricultores pelo milho Bt e o milho tradicional.

Os agricultores de milho Bt pagaram mais pelas sementes que os que plantaram a variedade tradicional, mas os primeiros reduziram os custos de compra e utilização de inseticidas.O impacto do milho transgênico na redução da aplicação de inseticidas é significativo. Em média, o agricultor que planta milho tradicional faz quase uma aplicação de inseticida por ano. Com o uso de sementes transgênicas, o resultado é que as aplicações caem para quase 1/3, ou seja, em cada 3 agricultores, apenas 1 faz uma aplicação por ano.

A razão alegada com mais freqüência pelos agricultores na hora de decidirem por plantar milho Bt foi “a diminuição do risco de sofrer com os danos ocasionados pela broca do milho”, seguida “da obtenção de maiores rendimentos”.

“A melhor qualidade das colheitas” também foi mencionada como uma razão para cultivar o milho Bt, já que a variedade transgênica está associada a uma redução nos danos causados pelas pragas na espiga do milho.

Não foram encontradas diferenças estatísticas entre os dois grupos de agricultores em relação às variáveis como propriedade da terra, tamanho da exploração, principal cultivo, idade, nível de estudos, formação agrícola ou anos de experiência cultivando milho. Os autores do estudo concluem que as diferenças em rendimento e margens de beneficio são atribuíveis à escolha das variedades de milho Bt e não aos perfis socioeconômicos dos agricultores analisados.

Informação básica

O milho Bt é uma variedade geneticamente modificada que expressa a proteína inseticida produzida pela bactéria do solo Bacillus thuringiensis e que a faz geneticamente resistente ao ataque da broca do milho, uma das pragas mais daninhas na Espanha.

O milho Bt foi plantado na Espanha pela primeira vez em 1998, em 20 000 hectares. Em 2007, a superfície de cultivo do milho Bt superava os 75 148 ha, que equivalem a aproximadamente os 20% da superfície de cultivo de milho desse país. O milho Bt é o segundo cultivo GM em todo o mundo, somente superado em superfície cultivada pela soja transgênica.

Fonte: Ipts – junho de 2008