O Instituto Nacional de Saúde, de Lisboa, deu sinal verde ao consumo dos alimentos geneticamente modificados (GM). Um estudo da instituição, liderado pela cientista Rita Batista, também do Instituto de Tecnologia Química e Biológica, mostrou que os produtos transgênicos testados são seguros quanto ao potencial alergênico. O relatório está publicado na edição de agosto da revista científica norte-americana Journal of Allergy and Clinical Immunology.

A pesquisa testou amostras de quatro variedades de milho e uma de soja transgênicos em dois grupos de voluntários bastante sensíveis: crianças alérgicas a determinados alimentos ou substâncias inaladas e indivíduos com asma e rinite. Em dois anos de avaliações, nenhuma das 134 pessoas que passaram pelo teste sofreu reações diferentes em comparação ao consumo de produtos não-transgênicos. Em nenhum dos voluntários foram encontrados anticorpos reagentes às proteínas transgênicas.

O trabalho concluiu também que testes científicos pós-venda sejam mantidos para se acompanhar possíveis reações alérgicas às proteínas introduzidas nas plantas GM.

Fonte: Journal of Allergy and Clinical Immunology – August 2005, Pages 403-410