Para testar o comportamento real de compra dos consumidores europeus, cientistas neozelandeses conduziram um experimento prático cujo resultado foi surpreendente: a aceitação de alimentos GM é extremamente significativa à medida que estes são mais baratos em relação aos orgânicos ou os produzidos de forma convencional. Numa pesquisa de campo, frutos frescos categorizados em três tipos – biológicos, convencionais e “geneticamente modificados sem utilização de sprays” – foram expostos em uma barraca e colocados à disposição dos consumidores. Após a finalização de cada etapa do trabalho, os consumidores foram informados que na verdade todos os produtos eram convencionais.

Primeiramente, os três tipos de fruto foram oferecidos pelo mesmo preço. Nessa circunstância, 20% dos entrevistados optaram pela variedade transgênica, sendo que a preferência entre um país e outro oscilou entre 22% (Alemanha) e 17% (Reino Unido).

Na segunda etapa, os frutos GM foram oferecidos 15% mais baratos do que a variedade convencional, enquanto os biológicos a um preço 15% maior. O comportamento do consumidor nestas condições mudou consideravelmente. A preferência pelo alimento transgênico saltou para 36% na Alemanha, 43% na Suécia e 60% na Nova Zelândia. A média geral dos países girou em torno de um crescimento na casa dos 30%.

Esta pesquisa reforça os dados de um estudo anterior que demonstrou ser falsa a idéia de que o consumidor europeu tem aversão a produtos transgênicos. O comportamento de compra dos 2.736 entrevistados foi publicado na revista Nature Biotechnology.

Fonte: GMO Compass– 10 de julho de 2007