A BIO-EARN, uma rede de comunicação do leste africano, divulgou que promoverá a aplicação da biotecnologia na agricultura, na indústria e na gerência ambiental, a fim de contribuir para o desenvolvimento sustentável na Etiópia.
O coordenador de projeto e pesquisa do BIO-EARN, Shumu Teferra, afirmou que, em parceria com a Universidade de Addis Ababa e o Instituto de Pesquisa em Agricultura da Etiópia, a rede irá conduzir pesquisas para tratar de estresses bióticos e abióticos que atingem plantas.
A BIO-EARN também prevê o lançamento de variedades de mandioca resistente ao vírus mosaico e de batata-doce.
Fonte: ISAAA 09.01.09