Os Estados Unidos estão construindo três centros de pesquisa com capital de 125 milhões de dólares cada, que envolverão universidades, laboratórios e companhias privadas dos Estados Unidos. O objetivo dos centros é trazer novas tecnologias ao mercado dentro de cinco anos.

O plano trabalha em sincronia com a projeção do presidente Bush em reduzir o consumo de gasolina em 20% nos próximos 20 anos.

Os Centros de Bioenergia estarão focados em encontrar micróbios que quebrem naturalmente a lignina – um componente de plantas e árvores – para dar acesso ao seu material interno, chamado celulose. “Ela pode ser convertida em etanol ou qualquer outro combustível líquido, como o butanol e o biodiesel” explicam o subsecretário científico do Departamento de Energia, Raymond L. Orbach. Atualmente, as companhias de tecnologia que tentam comercializar o etanol celulósico utilizam aquecimento e ácidos, procedimentos bastante caros.

O pesquisador explica ainda que os centros também irão trabalhar na criação de novas safras que produzam lignina, uma substância mais fácil de lidar. Para tanto, técnicas de biotecnologia deverão ser utilizadas. O etanol está sendo crescentemente utilizado como um substituto da gasolina mas, em contrapartida, vem fazendo subir o preço do milho.

Fonte: Checkbiotech – 26 de junho de 2007