Para ajudar a alavancar as tecnologias de conversão de gramíneas perenes e madeira em biomassa para produção de etanol, o professor de engenharia biológica e ambiental Larry Walker, da Universidade de Cornell (EUA), vai investir US$ 10 milhões – concedidos pelo Empire State Development Corp. – na ampliação dos laboratórios de biotecnologia industrial da universidade.

O investimento facilitará aos pesquisadores superar as barreiras físicas, químicas e biológicas para a liberação de açúcares de cultivares energéticas como switchgrass (gramínea nativa da América do Norte, cujo nome científico é Panicum virgatum), miscanthus e outras gramíneas perenes, além de biomassa florestal, e também converter biologicamente estes açúcares em biocombustíveis, como etanol, butanol ou hidrogênio.

Para o professor, embora a produção de etanol baseada em milho seja uma tecnologia avançada atualmente, o desenvolvimento e a sustentabilidade do etanol americano depende da conversão em etanol de gramíneas perenes, biomassa da madeira e celulose. Walker também é diretor do 14-state Northeast Sun Grant Institute of Excellence, que pesquisa o uso da biomassa de plantas na produção de energia e produto químico.

Fonte: Chronicle Online (Cornell´s newspaper) – 19 de Janeiro de 2007