A demora do Brasil na decisão de regras específicas para a produção de alimentos GM tem impedido a China de comprar soja brasileira, segundo declarações de um funcionário do Ministério de Agricultura chinês. A China tem em mãos certificados temporários de importação de soja da Argentina, a partir de 20 de dezembro. O mesmo deveria ocorrer por parte do Brasil, “mas não há documentos desse tipo vindos do país”, disse o funcionário.

Analistas de mercado acreditam que o Brasil, segundo maior produtor de soja, depois dos EUA, sofre prejuízos na exportação de soja por não permitir, ainda, plantações GM. Para se ter uma idéia do prejuízo, a China, maior importadora de soja do mundo, já reservou 4,5 milhões de toneladas vindas de plantações da América do Sul entre abril e junho. Em março, quando a estação dos Estados Unidos (grande fornecedor para o mercado chinês) termina e começa a da América do Sul, a China já reservou 20 carregamentos. Há probabilidade de que dez deles venham do Brasil.

Clique aqui para ver texto na íntegra em inglês.