Os participantes da primeira reunião do Tratado Internacional em Recursos Genéticos de Plantas para Alimentação e Agricultura, das Nações Unidas, realizada em Madrid, chegaram ao seguinte consenso: a salvaguarda destes recursos é crucial para a garantia de alimentos às gerações futuras. A posição da entidade baseia-se no fato de que três quartos dos alimentos mais importantes tornaram-se extintos nos últimos cem anos.

Cento e vinte países estabeleceram acordos de cooperação para assegurar acesso a germoplasmas (conjunto de características genéticas) de 64 espécies de plantas, que representam 80% dos alimentos consumidos hoje pela humanidade. Uma das propostas, ainda a ser avaliada e aprovada, diz que cada país signatário pague 1,1% da renda gerada com as vendas de qualquer semente de variedade comercial obtida a partir do material genético. Os subsídios seriam usados em pesquisas e programas destinados aos países pobres.

Fonte: FAO