Qual a diferença entre OGM, transgênico e cisgênico?

/Qual a diferença entre OGM, transgênico e cisgênico?

Bióloga, doutora em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e diretora-executiva do CIB.

Quando questionadas sobre o que é OGM e o que é transgênico, é bastante comum as pessoas ficarem confusas. A discussão é mais intensa ainda quando um terceiro termo surge: cisgênico. Mas afinal, o que significa cada um deles?

O que é OGM?

Um organismo geneticamente modificado (OGM), segundo a Lei de Biossegurança (11.105/05), é um ser vivo que teve seu material genético (DNA/RNA) modificado por meio de qualquer técnica de engenharia genética. Essa modificação pode ou não inserir genes externos no DNA do organismo.

O que é transgênico?

Quando um organismo é modificado por meio da adição de um ou mais genes proveniente de uma espécie não compatível sexualmente, esse organismo é denominado transgênico. Assim, o transgênico é um tipo de OGM, mas nem todo OGM é um transgênico – como é o caso do cisgênico. Para o desenvolvimento de um organismo transgênico são necessários muitos anos de pesquisa e milhões de dólares de investimento. O trabalho envolve cientistas de diversas áreas do conhecimento, a exemplo de biologia, genética e agronomia.

O que é cisgênico?

O cisgênico é um organismo que passou por um procedimento que envolve a tecnologia do DNA recombinante, mas com o uso de genes de espécies que podem ser cruzadas naturalmente. Um dos exemplos mais conhecidos de cisgenia é resultante da pesquisa para tornar batatas resistentes ao patógeno Phytophthora, realizada pelo instituto Plant Research International (PRI), da Universidade de Wageningen, na Holanda. Para chegar ao resultado desejado, os pesquisadores implantaram nas batatas um gene de resistência ao fungo presente em batatas selvagens.


VEJA TAMBÉM

Batata resistente a vírus: Argentina aprova novo produto de biotecnologia

EUA aprovam três novas variedades de batatas geneticamente modificadas


O que é OGM e como produzir planta transgênica

Segundo a legislação brasileira, independentemente da origem do material genético (seja ele do próprio organismo, de espécies sexualmente compatíveis ou de organismos distantes), todos são OGM – não importa se são transgênicos ou cisgênicos.

Dessa maneira, um OGM pode

  • ter a adição de um gene proveniente de uma espécie não sexualmente compatível (transgênico)
  • ter a adição de um gene de uma espécie com a qual poderia haver um cruzamento (cisgênico)
  • ter um ou mais de seus genes deletados ou silenciados.

 

 

Por: Adriana Brondani em 21-10-2016 | Atualizado em 28-09-2018 | Categorias: Conceitos

Bióloga, doutora em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e diretora-executiva do CIB.