Agricultores mexicanos pediram ao governo para permitir que plantem o milho geneticamente modificado em resposta à crise na qual os preços subiram para um dos alimentos de base do país, à chamada “tortilla“.

O chefe da Associação Agrícola Nacional, Jaime Yesaki, disse que o plantio do milho geneticamente modificado poderia ser “a solução fundamental” para a manutenção da produção adequada do cereal. A associação representa mais de 500 fazendeiros e outros produtores agrícolas no México, onde as tortillas, juntamente com feijões, constituem a dieta básica dos 50 milhões de pobres do país. Nas últimas semanas, o preço de um quilo de tortillas – feitas de milho branco – atingiu cerca de 10 pesos ($0.90), após um aumento de 11% em 2006 e 70% nos últimos seis anos.

Por ano, o México usa mais de 9 milhões de toneladas de milho para a produção das tortillas, e o produto é tão indispensável para a dieta do país que uma ascensão ou queda em seu preço tem efeito considerável no índice de preços ao consumidor e no trabalho de uma nação que atinge mais de 100 milhões de pessoas. Yesaki defende o uso de grãos geneticamente modificados de milho como forma de garantir o suprimento necessário e manter os preços razoáveis. O aumento do preço das tortillas causou uma comoção no país o que levou o presidente Felipe Calderon aprovar, em 1º de dezembro (2006) a importação de 650.000 toneladas de milho na tentativa de frear o aumento de preço desta commodity.

Fonte: Checkbiotech – 19 de Janeiro de 2007