A presença da biotecnologia no setor agrícola deixou de ser uma tendência e se tornou uma ferramenta importantíssima para o progresso da agricultura. Isso pôde ser observado no Farm Progress Show, uma das maiores feiras de agronegócios dos Estados Unidos, que aconteceu na cidade de Boone, estado de Iowa, de 26 a 28 de agosto. O evento reuniu mais de 400 empresas do setor agrícola – entre elas, muitas que trabalham com biotecnologia – para apresentar as últimas novidades aos profissionais do agronegócio.

Diversas inovações foram expostas, como uma variedade de soja que promete aumentar a produtividade do grão de 7% a 11% e outra que deverá conter 20% a mais de ômega 3, ainda em fase de desenvolvimento. Hoje, nos Estados Unidos, mais de 80% da soja cultivada é geneticamente modificada. “A maioria dos agricultores americanos já reconhece as vantagens das sementes GM. No caso das variedades resistentes a insetos, por exemplo, além da diminuição com agrodefensivos, o produtor pode plantar em épocas do ano que antes evitava por causa de pré-disposição aos bichos”, conta o empresário Darin Goffiri, que comercializa sementes GM, fertilizantes e outros produtos agrícolas, e esteve na Farm Progress Show 2008 para conferir as novidades.

Outros exemplos de tecnologias apresentadas na feira são um procedimento que usa raios laser para captar informações genéticas das sementes, e variedades de milho que prometem maior rendimento e mais tolerância ao estresse hídrico. Entre os produtos que estão em pesquisa, há variedades que reúnem até oito eventos na mesma planta.

O Farm Progress Show acontece a cada dois anos. Além das empresas de agronegócios, o evento conta com a participação de produtores, pesquisadores e técnicos de todo o mundo. Equipamentos de última geração, demonstração de manejo de gado, produtos químicos e seminários, são algumas das atrações da feira.