As folhas de tabaco transformadas geneticamente podem servir de base para o desenvolvimento de um novo anticoncepcional feminino, usado dias antes ou depois do ato sexual. O produto poderia ter grande aceitação no mercado porque os similares nas prateleiras, à base de hormônios, normalmente causam efeitos colaterais.
Cientistas indianos e alemães estão tentando usar a engenharia genética para produzir um anticorpo que ataca um hormônio (Chorionic gonadotrophin (HCG)) produzido pela mulher imediatamente depois da concepção, informou o diário The Times da Índia, país onde estão sendo realizadas as pesquisas. O HCG é essencial na fertilização do ovário. O objetivo dos cientistas é fazer com que o anticorpo fabricado a partir das folhas de tabaco neutralize o HCG, impedindo que a gravidez tenha continuidade.
O anticorpo pode servir de base para um anticoncepcional porque ele permanece por vários dias no corpo, podendo ser tomado pela mulher antes do ato sexual ou ser usado numa situação de emergência, até sete dias depois da relação.
O produto ainda está em fase de estudos, mas os cientistas acreditam que ele poderá ser fabricado em larga escala por um preço bastante acessível.
A íntegra deste texto está no site www.bic.org.MY/index.html