A cabaça é um fruto que tem sido usado ao redor do mundo na alimentação e na produção de garrafas, colheres, instrumentos musicais e até casas de pássaros. E agora um gene desse vegetal pode ajudar a reduzir a infestação de vírus na melancia.

O patologista de plantas Kai-Shu Ling, do Serviço de Pesquisa Agrícola dos Estados Unidos, juntamente com o geneticista Amnon Levi, está pesquisando ferramentas para combater o vírus do mosaico amarelo (ZYMV), responsável pela infecção de safras de pepino, melão, abóbora, entre outras.

Na América do Norte, muitos vírus transmitidos por insetos, o que inclui o ZYMV, causam diversos problemas às plantações de melancia. Pesquisas prévias de outros cientistas sugerem que a cabaça (Legenaria siceraria) possui resistência ao ZYMV, mas que seriam necessários estudos mais aprofundados para esta comprovação.

Ling e Levi obtiveram 190 tipos de sementes de cabaça, coletadas em diferentes partes do mundo. Para a surpresa deles, 33 se mostraram completamente resistentes à infecção ZYMV, e outras 64 também responderam positivamente, porém de forma parcial. Os pesquisadores também descobriram que este traço é hereditário, o que permite a criação de novas variedades com a resistência melhorada ao vírus.

O sucesso de Ling e Levi na identificação de cabaceiros resistentes aos ataques da doença vai ajudar a encontrar modos amigáveis ao meio ambiente de controlar os patógenos da melancia e suas pestes. Para produtores dos EUA, cuja commodity rendeu 435 milhões de dólares em 2006, isto seria um sonho se tornando realidade.

Fonte: Usda – 24 de outubro de 2007