Cientistas da Universidade de Colúmbia, nos Estados Unidos, descobriram que, ao contrário do que se pensava, os genes envolvidos no desenvolvimento de miopia não são os mesmos que causam hipermetropia. Embora alguns genes para miopia já tivessem sido identificados anteriormente, não estava claro quais deles eram responsáveis somente por essa doença. A pesquisa publicada recentemente na revista PLOS Biology revela que 29 genes são responsáveis apenas pela miopia. A descoberta abre portas para novas alternativas no tratamento dessa doença.

Foto ilustrando visão normal e míope

Os genes da miopia

O olho humano está programado para aumentar de tamanho após o nascimento, acompanhando o desenvolvimento do corpo. Ao longo desse processo, mantém uma visão em que as imagens dos objetos são focalizadas em nossas retinas. Dessa maneira, variações no tamanho do olho podem levar a algumas desordens.

O estudo realizado pelo grupo de cientistas, liderado pela pesquisadora Tatiana V. Tkatchenko, mostrou que a retina dos olhos é capaz de diferenciar uma imagem desfocada por miopia (formada à frente da retina) de uma imagem desfocada por hipermetropia (formada após a retina).


SAIBA MAIS

Sofre de insônia? A culpa pode ser dos seus genes


Ao evidenciarem o papel da retina durante o processo de crescimento dos olhos , os autores do trabalho conseguiram identificar o trecho do DNA relacionado ao desenvolvimento da miopia. O mais inesperado foi a descoberta de que os genes da miopia não são os mesmos da hipermetropia. Portanto, a retina controla genes completamente diferentes, que estão relacionados ao controle de crescimento do olho, para tentar corrigir imagens desfocadas pelas diferentes condições.

Esses resultados fornecem novos alvos para o desenvolvimento de medicamentos que podem ser utilizados para tratar a miopia de forma mais eficaz e ajudar a prevenir complicações associadas a ela, como é o caso de lesões no nervo óptico.

Miopia, hipermetropia e a genética

O míope possui o olho mais alongado, o que dificulta o foco de objetos que estão longe. Isso porque a imagem que deveria ser focada diretamente na retina acaba sendo focalizada à sua frente.

A miopia é um mal que afeta milhares de pessoas em todo mundo. É caracterizada pela dificuldade de enxergar objetos distantes. Em algumas regiões da Ásia, atinge até 90% da população. Estimativas mostram que, em 2050, metade da população mundial pode ser afetada por essa patologia, considerada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) uma das cinco prioridades de saúde.

Caso o olho seja “encurtado”, o foco da imagem acaba se formando para fora do globo ocular, o que caracteriza a hipermetropia. Em ambas as situações, o resultado é um desalinhamento ocular que resulta em uma visão imprecisa e borrada.

Quando colocamos certas lentes diante dos olhos míopes ou hipermétropes, corrigimos essa distorção óptica — por isso, os óculos ou lentes de contato também são chamados de lentes corretivas.

 


SAIBA MAIS

Genes da inteligência também impactam saúde e hábitos