Uma pesquisa conduzida na Universidade de Wyoming, nos Estados Unidos, mostrou que girinos geneticamente modificados podem ser usados na detecção de poluição na água. Em artigo publicado na Environmental Science and Technology, cientistas demonstraram que girinos de sapos-com-garras da África ficam fluorescentes em resposta à poluição, e podem indicar a presença de vários produtos químicos ao mesmo tempo. Um dos pesquisadores disse que o estudo vem ao encontro de uma necessidade urgente de detectar rapidamente efeitos fisiológicos de poluentes do meio ambiente.

O princípio básico envolve a criação de construções genéticas que permitam que uma proteína verde fluorescente possa ser expressa em resposta ao estresse fisiológico gerado nos girinos por poluentes para os quais a modificação genética for designada.

Ainda segundo o pesquisador, os girinos são particularmente usados em monitoramentos do meio ambiente por desenvolverem tanto o sistema imunológico quanto o cardíaco e circulatório complexos, similar ao dos humanos, em apenas alguns dias.

Fonte: Billings Gazette – 5 de dezembro de 2009