O gás metano, relacionado às mudanças climáticas e um dos responsáveis pelo efeito estufa, é também produzido no processo de digestão do gado. Há anos, pesquisadores procuram uma forma de minimizar o problema. Cientistas da University College Dublin (Irlanda) pesquisam um tipo de grama mais doce e gordurosa, que poderia diminuir a emissão de gases e contribuir, indiretamente, para a saúde humana.

Apesar de não haver provas concretas de que a abordagem possa funcionar, o especialista em nutrição animal da universidade, David Kenny, afirma que, embora a grama configure uma dieta de baixa gordura, os cientistas estão trabalhando com diferentes culturas neste momento, por meio da biotecnologia. Segundo ele, certos tipos de gorduras podem melhorar a qualidade da grama e, ao mesmo tempo, reduzir a produção de metano. “É uma situação em que todos ganham: o produtor de gado e o consumidor.”

A questão do gás emitido é especialmente grave na Irlanda, onde boa parte dos animais alimenta-se de grama, viabilizando, consequentemente, a maior produção de gás metano.

Fonte: BBC Brasil
Data: 29.12.08