O Hospital de Clínicas (HC) de Curitiba -instituição vinculada à Universidade Federal do Paraná (UFPR)- realizou o primeiro implante de células-tronco em um paciente com cardiomiopatia dilatada – doença degenerativa do músculo do coração. O paciente, de 38 anos, (o nome não foi divulgado), segundo informações do hospital, passa bem e a expectativa é de que tenha alta hoje. Ele será acompanhado, pelo menos, durante os próximos seis meses, para avaliar os resultados do implante. O procedimento passará a ser usado pelo HC em outros tipos de cardiopatias.

O uso de células-tronco como tratamento alternativo ao uso de medicamentos em pacientes com doenças crônicas do coração é uma técnica relativamente nova no Brasil. As células são retiradas da medula óssea do próprio paciente (em geral, do ilíaco, osso do quadril) e implantadas no coração por meio de catéter. O procedimento é minimamente invasivo, diminuindo os riscos de infecção e o tempo de recuperação do paciente.

O médico Ricardo João Westphal, que realizou o procedimento inédito no HC, explicou que o hospital -que é referência em transplante de medula óssea- não contava, até então, com um laboratório capaz de fazer a separação das células-tronco. Agora, o HC poderá dar continuidade aos estudos que já têm em andamento e contam com apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Com o laboratório, o HC poderá, ainda, integrar a rede de pesquisas em terapia celular do Ministério da Saúde, que é coordenada pelo Instituto Nacional de Cardiologia Laranjeiras (INCL), do Rio de Janeiro. Em Curitiba, a Santa Casa já participa dos estudos.

´´Os estudos com células-tronco estão em uma fase inicial. O que se sabe é que funciona. Melhoram a função cardíaca. O que se desconhece, ainda, são os mecanismos que levam a essa condição´´, apontou o médico. Segundo ele, outros 29 pacientes com cardiomiopatia dilatada, na forma grave, serão submetidos a implante de células-tronco no HC. Serão pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), encaminhados por outras unidades de saúde ou por médicos que já fazem o acompanhamento dessas pessoas.

O Centro de Pesquisas de Células-Tronco do HC será inaugurado, oficialmente, na próxima quinta-feira, dia 5. Um dos estudos que serão realizados, adiantou Westphal, será o de aplicação de células-tronco durante uma cirurgia cardíaca. ´´Um paciente será submetido a implantação de pontes safena e mamária e receberá injeções de células, diretamente, no músculo do coração´´, explicou.

Fonte: Folha de Londrina – 30 de junho de 2007