Pesquisadores da Universidade de Wageningen, na Holanda, desenvolveram uma nova aplicação biotecnológica que capacitará plantas geneticamente modificadas (GMs) a destruírem seus transgenes, após processarem o pólen. A novidade aparece como uma forma distinta de Tecnologia Genética de Restrição de Uso (GURT) – técnica que produz esterilidade de plantas com objetivo de fortalecer a biossegurança e a proteção de cultivares e patentes. De acordo com Jan-Peter Nap, cientista da instituição holandesa Plant Research International (PRI), a grande diferença entre o novo método e as polêmicas Gurts é que agora as plantas GMs permanecerão produzindo sementes, ou seja, somente a produção do pólen transgênico será impedida. ”Nossa técnica, também, não requer que os cultivares sejam pulverizados com produtos químicos para desligar ou ligar o interruptor”, complementa. Além de evitar a propagação de transgenes, a aplicação genética oferecerá maior eficiência no uso de plantas como fábricas moleculares. A notícia foi publicada no site Checkbiotech.

Fonte: Wageningen University -Checkbiotech / Julho 2006