Durante a BIO-2004, em São Francisco, Estados Unidos, o ex-executivo chefe da Food and Drug Administration (FDA), David Kessler, disse que a visão que domina a indústria biotecnológica atualmente é a de que é preciso desenvolver alimentos GM com foco nos benefícios à saúde. Este enfoque abriria, segundo ele, novas oportunidades para a indústria.
No evento, que contou com 18 mil participantes do setor industrial, o executivo de tecnologia da Monsanto, Robert Fraley, descreveu um tipo de soja com óleo com menor teor de gordura saturada e de ácidos prejudiciais ao coração. Os produtores de alimento estão procurando fórmulas alternativas para as chamadas “gorduras trans” que aumentam o colesterol e os níveis da lipoproteína de baixa densidade (LDL), podendo contribuir para doenças cardiovasculares.
“Estamos desenvolvendo um tipo de soja com menor teor de ácido linolênico”, diz Fraley, ressaltando que, dessa maneira, reduz-se a necessidade de hidrogeneização. Portanto, se evita a produção de gorduras trans na fabricação de margarinas Transfats. A meta maior é utilizar a biotecnologia para desenvolver soja cujo óleo seja completamente livre de gordura saturada.Fonte: Food Navigator