DNA-AF-300x200Um cientista israelense desenvolveu plantas geneticamente modificadas (GM) que prometem revolucionar a produção mundial de alimentos. Shimon Gepstein, do Instituto de Tecnologia de Israel, alterou os genes de diversas variedades de plantas para que se tornassem resistentes à seca e conseguissem ficar até um mês sem água.

De acordo com ele, a descoberta veio por meio de experimentos visando prolongar a longevidade dos vegetais. “As plantas não apenas sustentam a produção de citocinina, hormônio que retarda o envelhecimento e facilita a fotossíntese, como também exige somente 30% da quantidade de água que plantas convencionais necessitam para crescer e sobreviver”, afirmou.

Testes realizados com uma alface geneticamente modificada evidenciam o sucesso da pesquisa. “Colhi uma alface que levou 21 dias até dar os primeiros sinais de apodrecimento, enquanto variedades comuns da planta geralmente levam cinco ou seis dias para ficarem amareladas”, comentou Gepstein. O pesquisador acredita que a descoberta pode beneficiar regiões que sofrem com a estiagem. “Poderemos, no futuro, levar essas variedades a zonas áridas, onde a fata de água castiga a população e prejudica a agricultura”, disse.

A pesquisa beneficiará principalmente os habitantes de Israel, onde o trigo é plantado no início do inverno e só brota depois das primeiras chuvas. Se não há a precipitação esperada, as plantas acabam morrendo. Os resultados dos estudos já estão ganhando aplicações práticas e empresas multinacionais já manifestaram interesse na tecnologia. Gepstein acredita que, se a técnica for adotada em diversas localizações do planeta, a produção mundial de alimentos jamais será a mesma.

Fonte: Israel 21 – Outubro de 2013