O governo da Tanzânia ratificou uma estrutura regulatória em biossegurança nacional a fim de regular a importação e o uso de produtos geneticamente modificados. Antes deste, o governo ratificou o Protocolo de Cartagena sobre Biossegurança.

A Tanzânia é o estado africano mais atrasado no que diz respeito à regulamentação da biotecnologia, enquanto a Namíbia e o Zimbabue trabalham para estabelecer sua própria regulamentação.

Fonte: Agrow nº 508, p. 21 – 19 de janeiro de 2007