O Instituto de Pesquisas Florestais da Malásia está clonando todas as plantas e ervas medicinais que, embora sejam importantes para a indústria farmacêutica nacional, estão ameaçadas de extinção. Usando as técnicas da biotecnologia, os cientistas da instituição copiaram tecidos de folhas e raízes de plantas jovens. Os exemplares clonados são mais resistentes e de maior capacidade sustentável, o que pode ampliar o seu valor comercial.

Segundo a Agência Nacional de Notícias da Malásia, as pesquisas com plantas medicinais começaram nos anos 70 e já identificaram 15 mil espécies de vegetais com flores e 12 mil com valor farmacêutico. A expectativa do governo é que a indústria da biotecnologia movimente, até 2015, em algo em torno de R$ 2,32 trilhões.

http://www.bernama.com.my /bernama/ v3/news.php?id=197617