Mandiocas maiores e com mais proteína, vitaminas e minerais. Esta é a mais nova pesquisa apresentada por cientistas da Universidade do Estado de Ohio, nos Estados Unidos, e publicada no Plant Biotechnology Journal , no início de maio. Conforme o Estudo, a inserção de um gene no DNA da raiz proporcionou o cultivo da planta até quase três vezes maior em relação à convencional.

Para os pesquisadores, esta variedade de mandioca GM, cujas folhas são consumíveis e oferecem nutrientes importantes, pode contribuir no combate à fome e à desnutrição em países em desenvolvimento. “Esperamos que exista interesse na distribuição gratuita destes tipos de alimentos para o povo africano”, afirmou o cientista líder da pesquisa, Richard Sayre. A mandioca pertence à base alimentar de aproximadamente 600 milhões de pessoas em países da África, Ásia e América Latina.

Reference: Plant Biotechnology Journal doi:10.1111/j.1467-7652.2006.00195.x (2006)