Resultados sugerem que cerca de 4% dos pacientes com um tipo de câncer de medula têm mutações em um gene denominado BRAF

Cientistas mapearam o código genético completo de 38 pessoas com mieloma múltiplo, um tipo de câncer que se desenvolve na medula óssea e identificaram genes que desempenham um papel determinante nesse tipo de doença. Ao comparar o genoma da célula tumoral com o genoma da célula normal, os pesquisadores podem ter pistas das modificações que ocorrem no DNA para que o câncer comece a se desenvolver.

Os resultados sugerem que cerca de 4% dos pacientes com mieloma múltiplo têm mutações em um gene denominado BRAF. As mesmas alterações foram encontradas em pessoas com câncer de pele (melanoma). Os pacientes com melanoma têm mostrado boa resposta ao medicamento experimental. A esperança é que o mesmo remédio possa ajudar pacientes com mieloma múltiplo.

De acordo com Todd Golub, professor de pediatria da Escola de Medicina de Harvard (Harvard Medical School) e pesquisador do Instituto Médico de Howard Hughes (Howard Hughes Medical Institute), nos Estados Unidos, esses dados foram obtidos devido à nova geração de sequenciadores de DNA, que permite mapear o genoma completo de um paciente em poucos dias.

Ainda segundo Todd Golub, “daqui a cinco anos é possível que tenhamos identificado o perfil genético dos cânceres mais comuns”.

Fonte: News Daily – 23 de março de 2011