As plantas geneticamente modificadas surgiram inicialmente para resistirem às pragas do campo. Mas o vasto leque de possibilidades, a exemplo de como usá-las para produzir drogas contra o câncer, têm animado os cientistas da engenharia genética. A mais nova técnica desta ciência, já chamada de metabolômica, analisa o metabolismo de cada organismo e elucida a função de cada gene e o relacionamento entre eles. Desta forma, os pesquisadores querem entender melhor como o produto final das moléculas atua nas características da planta (do crescimento à resistência ao frio, por exemplo). A metabolômica ajuda a entender os efeitos intencionais e não-intencionais dos genes.

Fonte: MIT Technology Review / 1 December 2005 / Copyright: MIT Technology Review