Cientistas de Viena desenvolveram uma nova técnica de produção de vacinas contra a gripe A, ou H1N1, em células de inseto. A pesquisa, publicada no periódico científico Biotechnology Journal, mostra como produzir a vacina em menos tempo que o método convencional, que é baseado no uso de ovos de galinha.

O processo atualmente utilizado usa ovos de galinha embrionados, o que torna impraticável a produção de grande quantidade de vacinas em casos de pandemia. Já o método desenvolvido usa células de insetos cultivadas para criar partículas recombinantes do vírus. Como não são partículas inteiras, não são infecciosas. Os cientistas conseguiram produzir partículas recombinantes do H1N1 em dez semanas.

Estudos em ratos confirmaram que a produção é muito mais rápida que a convencional. Além disso, a nova técnica também supera desvantagens da produção com ovos de galinha, como a sua capacidade limitada de produção e as reações alérgicas a proteínas do ovo.

Fonte: Biology News Net – 04 de janeiro de 2010