O novo microrganismo transgênico é capaz de produzir enzimas eficientes na degradação de compostos tóxicos

A identificação de fungos que sobrevivem em áreas contaminadas por derramamentos de petróleo foi o ponto de partida para a pesquisa com microrganismos transgênicos que podem descontaminar áreas degradas.

Os fungos encontrados no solo sobrevivem em condições de contaminação, mas não são capazes de destruir os hidrocarburetos aromáticos policíclicos (HAP), compostos extremamente contaminantes e cancerígenos existentes no petróleo. Entretanto, fungos que crescem em madeira (lignolíticos) são capazes de degradar a lignina, composto quimicamente bastante similar ao HAP.

Os genes dos fungos lignolíticos foram então transferidos para os fungos isolados em solo contaminado. O novo microrganismo transgênico é capaz de produzir enzimas muito eficientes na degradação dos compostos tóxicos HAP.

A garantia de que estes fungos GM não se disseminariam no meio ambiente é o fato de, além de realizarem a biorremediação das áreas contaminadas, também eliminarem compostos que, em determinada concentração, os intoxica e destrói.

Fonte: Argenbio – Julho de 2011