O resultado desta primeira fase de estudos mostrou que a variedade GM não oferece nenhum risco à saúde ou ao meio ambiente

Pesquisas desenvolvidas por cientistas mexicanos de instituições como o Instituto Tecnológico de Sonora (ITSON) e a Universidade autônoma de Sinaloa (UAS), entre outras, comprovaram a eficiência do milho transgênico no combate a pragas e a plantas daninhas em fase preliminar de testes. Os experimentos foram realizados nos estados mexicanos de Sonora, Sinaloa e Tamaulipas e vão ser concluídos no segundo semestre de 2010.

No país, o marco regulatório que legisla sobre os organismos geneticamente modificados (GM) estabelece duas fases de avaliação antes da aprovação comercial. Na primeira fase, chamada de experimental, as lavouras são monitoradas desde a importação das sementes até a fase pós-colheita. A segunda fase é chamada de programa piloto, que é fundamental para verificar mais de 70 aspectos de biossegurança.

O resultado desta primeira fase de estudos mostrou que a variedade GM não oferece nenhum risco à saúde ou ao meio ambiente e tem as mesmas características agronômicas da planta convencional.

De acordo com o pesquisador do ITSON, Dr. José Luis Martinez Carrillo, estes estudos representam a resposta científica às duvidas e suspeitas levantadas a respeito dos transgênicos. Já o cientista da UAS, Dr. José Antônio Garzón, ressalta as vantagens competitivas da planta. “Enquanto para o manejo convencional de milho foram necessárias pelo menos duas aplicações de inseticidas, para o cultivo transgênico não foi preciso nem uma”, afirma.

Fonte: AgroBIO México – Agosto de 2010