Pesquisadores do Centro de Biologia Molecular e Engenharia Genética (CBMEG) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) conseguiram dar passo importante na formulação de um medicamento voltado para o tratamento da coccidiose aviária. Essa doença de aves causa prejuízos de US$ 20 milhões aos avicultores, pois provoca infecção intestinal, debilidade e perda de peso em frangos. O assunto foi amplamente abordado em artigo publicado na Revista da Fapesp – Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo. De acordo com o texto, os cientistas identificaram uma pequena proteína que pode ser o caminho para uma nova terapia. A idéia inicial dos pesquisadores, coordenados pelo professor Adilson Leite, é criar uma variedade de milho transgênico que incorpore o peptídeo em suas sementes e faça parte da ração alimentar básica das aves. O trabalho está resguardado em um pedido de patente depositado tanto nos Estados Unidos quanto na Europa e no Brasil. Financiada pela Fapesp, por meio do Núcleo de Patenteamento e Licenciamento de Tecnologia (Nuplitec), a patente vale para a própria proteína, para suas variantes e também para o método de identificação. Este texto você encontra no seguinte endereço: http://www.revistapesquisa.fapesp.br/show.php?id=revistas1.fapesp1..20020802.20020878..SEC7_8