A revista internacional Nature Biotechnology publicou em sua ultima edição uma análise das experiências dos agricultores espanhóis nos últimos dez anos do cultivo do milho Bt resistente à broca-do-milho sesamia. Por meio de questionários realizados com mais de 270 agricultores que plantaram cultivos de milho convencionais e geneticamente modificados (GM), foi possível concluir que, em campos de milho Bt, os agricultores obtêm maiores rendimentos que campos convencionais, assim como economia – em especial no uso de inseticidas.

Atualmente, o milho Bt é a única planta geneticamente modificada aprovada para o cultivo pela União Européia, e as maiores quantidades desse grão são cultivados na Espanha, representando 17% da produção nacional (ao redor de 75 mil hectares).

Para analisar essa experiência, a Nature contou com a colaboração da Universidade de Córdoba, na Espanha. Os entrevistados forneceram informações sobre o período de cultivo compreendido entre os anos de 2002 a 2004, a exemplo do rendimento dos cultivos, dos custos das sementes e dos preços do milho e dos inseticidas. A pesquisa também levou em consideração os perfis socioeconômicos dos agricultores para elevar as causas de variações nos rendimentos dos cultivos.

A conclusão foi de que os rendimentos dos cultivos GM são maiores em relação aos convencionais, o que justifica o aumento do plantio de Bt nos últimos anos. Além disso, os agricultores que plantam Bt confirmaram que o cultivo desse milho modificado reduziu as perdas das sementes por sesamia e aumentou o rendimento e a qualidade da colheita. A pesquisa também mostrou que o Bt reduz o ataque de fungos após a colheita e, por conseguinte, reduz a contaminação ambiental por micotoxinas.

FONTE: SeedQuest – 15 de julho de 2008