Com essa nova liberação comercial, o Brasil tem aprovadas oito variedades de algodão, 15 de milho e cinco de soja.

A Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) aprovou nesta quinta-feira, 17 de fevereiro, o oitavo evento de algodão transgênico do Brasil. A variedade chamada de TwinLink agrega à semente de algodão dois importantes eventos para a autodefesa contra pragas lepidópteras (lagartas) e para a seletividade ao herbicida à base de glufosinato de amônio.

As sementes TwinLink geram plantas de algodão imunes às pragas lepidópteras tais como curuquerê, lagarta-da-maçã, lagarta militar, lagarta-rosada e falsa medideira. Além disso, a tecnologia também permite uso seletivo do herbicida à base de glufosinato de amônio para o controle de plantas daninhas em pós-emergência.

Com essa nova liberação comercial, o Brasil tem aprovadas 15 variedades de milho GM, oito de algodão e cinco de soja. Além disso, 10 vacinas e uma levedura também estão aprovadas.