A chance de alguém ter a doença é de cerca de 2,5%, contudo, esta porcentagem aumenta para 6% caso haja algum parente próximo que  sofra d o Mal

Uma análise que envolveu aproximadamente 8 milhões de mutações genéticas revelou cinco novos genes relacionados ao Mal de Parkinson. Antes disso, outros seis genes haviam sido identificados. Embora essa descoberta ainda não leve a um tratamento imediato da doença, um dos pesquisadores envolvidos acredita que nos próximos cinco anos possa surgir um teste para diagnosticar a doença.

O estudo foi feito com a manipulação de 12 mil amostras de portadores de Parkinson e outras 21 mil amostras de pessoas que não possuem a doença. A análise indicou que as pessoas com o maior número de mutações em 11 genes ligados à enfermidade têm 2,5 vezes mais chances de desenvolver o Mal de Parkinson.

A chance média de um indivíduo ter a doença é de cerca de 2,5%, contudo, esta porcentagem aumenta para 6% caso ela tenha algum parente próximo que tenha sofrido do mal.

Fonte: Folha de S. Paulo– Fevereiro de 2011