A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) – ou OECD, na sigla em inglês – afirmou em um relatório recente que a biotecnologia pode melhorar a qualidade dos processos agrários, a aumentar a produtividade e ajudar a enfrentar os desafios ambientais.

O documento “A Bioeconomia em 2030: desenho de uma agenda política” traça o papel que a biotecnologia terá na economia global nas próximas duas décadas e as políticas públicas que devem ser desenvolvidas para maximizar seus benefícios.

Entre as medidas apontadas como necessárias pela OCDE estão a simplificação de regulamentações, o fomento ao uso da biotecnologia para melhorar o conteúdo nutricional de alimentos e a garantia ao livre comércio de produtos agrícolas.

O relatório, feito com base na tendência observada nos últimos anos, nos dados de campo sobre culturas GM e nas informações das empresas públicas e privadas, prevê que até 2015 estarão no mercado um número crescente de produtos agrícolas com novidades e novas características de qualidade agronômica.

Para acessar o relatório na íntegra (em inglês), clique aqui: http://www.oecd.org /document/48/0,3343, en_2649_36831301 _42864368_1_1_1_1,00.html

Fonte: AgroBio – 1 de junho de 2009