A Organização Mundial do Comércio (OMC) confirmou a decisão tomada em fevereiro sobre os organismos geneticamente modificados (OGM), e abriu o prazo legal de 60 dias para que as partes possam recorrer – os três autores da aão (Argentina, Canadá, Estados Unidos) e a acusada União Européia (UE).

A OMC publicou oficialmente seu informe sobre a queixa apresentada em 2003 pelos três países contra a UE pela moratória que impôs até 2004 sobre as importaões de OGM.

O material, de 1.050 páginas, é o mais longo e um dos mais complexo que a OMC redigiu em seus 11 anos de existência porque reúne uma série de dossiês sobre diferentes cultivos transgênicos como o milho ou a soja.

No informe se constata que vários Estados membros da UE – a exemplo de França, Áustria, Alemanha, Grécia, Itália e Luxemburgo – continuam proibindo a entrada de produtos geneticamente modificados em violaão da própria regulamentaão da UE.

Assim, a OMC pede à União Européia que atue em conformidade com sua regulamentação.