Os Estados Unidos, acompanhados por países como Argentina, Canadá e Egito, entraram com uma representação na organização Mundial do Comércio (OMC) contra a moratória da União Européia na comercialização de produtos geneticamente modificados. Além deles, outros países apóiam a ação, como Austrália, Chile, Colômbia, Nova Zelândia e México, entre outros.

Como argumentação, os Estados Unidos afirmam que a moratória é uma barreira comercial ilegal, já que não há evidências científicas de que os OGMs causem prejuízo à saúde humana ou ao meio ambiente. “Pessoas do mundo todo estão comendo produtos GMs há anos. A persistente resistência da União Européia em cumprir suas obrigações com a OMC está perpetuando uma barreira comercial que vai contra as análises científicas realizadas nos OGMs inclusive na Europa, o que impede o uso global da tecnologia que traz grandes benefícios para produtores e consumidores”, afirma o representante da US Trade Robert Zoellick.

Clique aqui para ler a matéria completa.