O ano de 1992 foi marcante para a agricultura do Havaí e para a indústria de papaia. Foi quando começaram, nas Universidades de Cornell e do Havaí, os testes de campo com variedades GM da fruta, buscando desenvolver a resistência ao vírus da mancha anelar.
Seis anos depois, após aprovação do governo, as variedades desenvolvidas – uma vermelha brilhante e a outra amarela brilhante – foram adotadas pelos agricultores em larga escala. O resultado é que atualmente metade da papaia cultivada no Havaí é geneticamente modificada.
Ter conseguido uma variedade resistente ao vírus está entre os maiores sucessos comerciais da biotecnologia e um exemplo de como a tecnologia pode beneficiar os pequenos agricultores e os consumidores. “Existem muitos agricultores de poucos recursos que não estariam na atividade se não houvesse o papaia transgênico”, diz um dos produtores, Delan Perry.
Fonte: Sacramento Bee