Testes vão seguir normas de biossegurança que incluem regras de coexistência e refúgio

De acordo com o Instituto Paraguaio de Tecnologia Agrária (IPTA), o cultivo de sementes de milho geneticamente modificado foi iniciado no país. As normas de biossegurança a serem seguidas incluem a manutenção de uma distância de 600 metros entre sementes GM e as tradicionais, além de área de refúgio de 10% em torno do local plantado.

Em novembro de 2010, o Ministério da Agricultura do Paraguai, por meio de quatro resoluções, autorizou quatro empresas a começarem os procedimentos legais e administrativos correspondentes para a introdução de variedades geneticamente modificadas de milho no país.

O IPTA será o órgão responsável pelo ensaio em andamento e apresentará um relatório final. Também será responsável pelo cumprimento das exigências técnicas e administrativas do ensaio.

Fonte: ArgenBio – 27 janeiro de 2011