A empresa Metabolix (sede nos Estados Unidos) assinou um acordo colaborativo com o Centro de Pesquisa Cooperativa para a Inovação da Indústria Açucareira com Biotecnologia da Austrália (CRC SIIB).

Nos últimos cinco anos, várias formas de plásticos biodegráveis produzidos a partir de uma variedade de plantas (milho principalmente) foram introduzidas no mercado. Hoje as estimativas mostram que o crescimento do setor ficará em cerca de 20% ao ano, devido à demanda de consumidores e de regulamentações ambientais por embalagens ecologicamente corretas como alternativa ao politereftalato de etila, o PET.

Segundo o diretor científico da Metabolix, Oliver Peoples, a companhia já tem um produto plástico natural biodegradável, o Mirel, produzido a partir de uma planta norte-americana chamada switchgrass. Agora o esforço volta-se para a produção de um novo produto, derivado de cana-de-açúcar, para atender as necessidades produtivas das regiões de clima tropical. “Eu acredito que a demanda por estes tipos de produtos aumentará à medida que as companhias e consumidores ambientalmente conscientes procurarem maneiras de diminuir os impactos negativos no ambiente”, diz ele.

Além de plásticos biodegradáveis, a empresa também pesquisa e desenvolve biocombustíveis e produtos químicos naturais a partir de plantas cultivadas, como é o caso da cana e da switchgrass.

FONTE: Biodegradable plastic to be produced from sugarcane, por Ahmed ElAmin, 10 de maio de 2007.