A Autoridade Européia para Segurança Alimentar (EFSA, na sigla em inglês) anunciou em seu parecer científico final que os alimentos clonados a partir de bovinos e suínos são seguros, não havendo implicações da clonagem animal sobre o ambiente.

De acordo com o parecer, não há quaisquer indicações de que existam diferenças, em termos de segurança alimentar, para a carne e o leite de clones e seus descendentes em comparação com os mesmos produtos gerados por animais convencionalmente criados.

O Comitê Científico avaliou ainda que a técnica SCNT, a mais comumente utilizada para clonar animais, resulta na produção de clones bovinos e suínos saudáveis semelhantes aos seus homólogos convencionais, baseados em parâmetros como características fisiológicas e clínicas.

No mais, o parecer reafirma que, a partir dos dados coletados, nenhum impacto ambiental está previsto.

Jim Greenwood, presidente e CEO da Biotechnology Industry Organization (BIO), emitiu uma declaração em resposta ao parecer científico publicado pela EFSA na qual afirma que a BIO apóia as principais conclusões de segurança emitidos pelo parecer científico. De acordo com o comunicado, as conclusões da EFSA são coerentes com as emitidas em janeiro deste ano pelo órgão regulamentador americano Food and Drug Administration (FDA).

Jim fala que os consumidores se beneficiam de tecnologia de clonagem porque a descendência de clones produz melhores carnes e produtos lácteos. Além disto, ajuda os produtores e fazendeiros na produção de animais mais saudáveis, uma vez que apenas os melhores animais são selecionados para a clonagem.

Em fevereiro de 2007, a Comissão Européia solicitou da EFSA um parecer científico sobre a segurança alimentar, a saúde e o bem-estar dos animais e as implicações ambientais de clones obtidos por meio da técnica SCNT.

O parecer final está em www.efsa.europa.eu

Para mais informações sobre a clonagem, visite www.clonesafety.org

Fonte: BIO24 de julho de 2008